quarta-feira, 31 de março de 2010

Cojones? Hay que tenerlos!

Numa manhã como tantas as outras (aparentemente) entro na empresa, pouso o saco do almoço e entro no gabinete da CEO. Ignorei o casaco ainda vestido e o cachecol que já não me devia acompanhar. Tinha uma missão... ali e tinha de ser quanto antes. Precisava de paz, de descansar e sossegar.

- Olá! Bom dia, vou ser portadora de más notícias. Uma empresa que não é da minha área profissional fez-me uma proposta melhor e vou ter de aceitar. Vou receber o dobro e o contrato é de um ano. Vou fazer coisas novas, coisas que nunca fiz... é um desafio.

- Ora essa, fizeste o que tinha de ser feito.

- Agradeço a oportunidade que me deram e saio daqui com o coração apertado. Gostei de trabalhar aqui e afeiçoei-me muito a estas pessoas.

- Deixa-te disso, podes aparecer sempre que quiseres.

E foi assim, eu que sempre quis ser jornalista demiti-me a sangue frio da profissão. Ignorei o facto de apenas um em cada dez licenciados em jornalismo conseguir colocação e tudo o que tive de passar para chegar ali. Se alguma vez pensei fazer isto? Nunca! Mas sinto que foi a opção mais correcta. O que fazer quando sentimos que já fizemos tudo? Que não podemos evoluir mais? Saltar fora e entrar num barco que nos leva a novas marés.

Saí contente, feliz, em paz, de lágrima no canto do olho e com a barriguinha cheia de sushi (posso pedir mais?). Vivi muito, aprendi muito e levo muitas pessoas no coração. Hoje, graças àquele trabalho, sou uma pessoa bem mais interessante do que quando me interessava apenas pelo cinema. Abri os horizontes, aprendi a viajar sozinha, a meter conversa com qualquer pessoa... e sabe tão bem.

Àqueles que me acompanharam na empresa e descobriram este blogue (em alguma fase do processo): muito obrigada por tudo. Pelos mimos, oportunidades e sobretudo por me terem permitido aprender tanto e conhecer tantas pessoas por este mundo fora. Saio de coração apertado porque não vos queria deixar, ainda por cima de um dia para o outro.

Então e o jornalismo? Fica em standby. Por quanto tempo? Sei lá, nem quero pensar nisso. Por agora vou dedicar-me às marcas e tentar ser feliz.

P.S: A esta hora devia estar no Hard Rock a emborcar Cosmopolitans (me encanta), em vez disso estou a trabalhar uma entrevista para uma das newsletters que sai amanhã.

8 comentários:

Style&Stuff disse...

Apesar de td, pareces feliz darling! Por isso, PARABÉNS!

Kiss*

Cate disse...

Estou exactamente na mesma situação que tu. Também estou seriamente a pensar em deixar o jornalismo em stand by. Só não dei o salto ainda. Mas já não deve faltar muito.

eu disse...

Boa sorte!
Era disto que eu precisava na minha vida! Talvez um dia...
No teu caso teria feito o mesmo. Temos de arriscar. Oportunidades assim têm de ser logo agarradas.
Tudo de bom nesta nova fase!!!
Bj

Finotti, Mariana disse...

UAU! gostei de veeeeeeerrrrrrrrrr!

Adorei! Parabéns e boa sorte na nova fase!

bjão

B. Cérise disse...

Acho que todas as decisões que tomamos têm de te a ver com realização pessoal. Já sigo o teu blog há alguma tempo e fico contente por saber que vais saltar para um projecto que te entusiasma. vais ver que vai correr tudo bem:)
Cérise*

Olhos Dourados disse...

Espero que corra bem nesta nova fase. E agora que tipo de trabalho vais fazer?

fafiaes disse...

Cinema e negócios. Se Ryan Bingham fosse uma mulher, escolheria Pecansis para vaguear "Nas Nuvens" ;)

Dina disse...

Boa sorte para este novo trabalho! Espero que te dê muitas alegrias e desafios ;)

DIREITOS DE IMAGENS

Todas as imagens neste blog são retiradas de outros sites e usadas apenas para fins recreativos.
Não é pertendido usar os direitos de autor de outros, por isso sempre que possível é referida a fonte.
Caso alguma imagem esteja contra este estatuto mande-me um e-mail.