quinta-feira, 4 de março de 2010

Alice in Wonderland

Há mais de um ano que andava em pulgas por este filme, mas ao contrário do que seria de esperar entrei na sala com expectativa zero. Venha o que vier. Sabia que ia ser bom, muito bom.

Não temos uma adaptação ipsis verbis, mas… uma Alice crescida, uma tela cheia de cor e um universo que é uma mistura de Alice adventures in the Wonderland e Through the Looking Glass.

É acima de tudo uma continuação da história (e que bela continuação). Cada personagem tem uma mensagem subliminar, sendo que o enredo (no seu todo) pode funcionar como uma crítica aos grandes conflitos provocados pelo Homem.

Tendo lido as duas obras de Lewis Carroll na semana passada… esta era a melhor prenda que podia receber. Trata-se de uma mistura de revivalismo com what comes next. E depois há as invenções de Burton que funcionam como uma explicação ao que lemos nos livros

Sem saber, sem pedir ou exigir… isto era exactamente o que precisava. Se é bom? Sim, muito bom. Não se esqueçam que só um louco seria capaz de interpretar tão bem o trabalho de outro louco.

5 comentários:

Nécessaire disse...

O Lewis Carroll era um brilhante matemático e há muitas mensagens escondidas na história. No fundo é uma forma de ensinar uma série de coisas às crianças. Mas nós adultos nem damos por elas.
Aquela parte em que a Alice encolhe e cresce depois é para ensinar a noção de maior e menor

Olhos Dourados disse...

Quero ver esse!

sam disse...

vou ve-lo esta tarde!
estou ansiosa :)

sam disse...

vou ve-lo esta tarde!
estou ansiosa :)

N disse...

Pois, a ideia é exactamente ser uma continuação da Alice (clássico da Disney). A Alice cresce e volta ao País das Maravilhas!

DIREITOS DE IMAGENS

Todas as imagens neste blog são retiradas de outros sites e usadas apenas para fins recreativos.
Não é pertendido usar os direitos de autor de outros, por isso sempre que possível é referida a fonte.
Caso alguma imagem esteja contra este estatuto mande-me um e-mail.