segunda-feira, 14 de junho de 2010

Não há coisa mais volátil do que a vida

A I. é uma grande amiga minha, provavelmente a melhor que tenho neste momento. Conhecemo-nos na faculdade, a amizade cresceu e é das poucas pessoas com que mantenho um contacto permanente.

Acompanhei recentemente o seu drama com a doença do avô. Os seus receios, os seus medos, as suas mágoas que outrora foram minhas. E precisava de ouvir como é que ele estava, mas acima de tudo como é que ela estava a ultrapassar este momento.

Uma das primeiras coisas que fiz hoje foi enviar-lhe uma mensagem "Vi o teu feed no facebook. Como está o teu avô?".

Falámos à tarde, desta vez no MSN, o avô não estava melhor e a família estava a fazer tudo o que podia. Ausento-me nem 30 minutos para uma reunião, regresso e recebo a seguinte mensagem "O meu avô acaba de morrer em casa. Estamos à espera do 112 para declarar o óbito".

E é assim, tudo muda de um momento para o outro. Não há poder nem certezas sobre nada. O que neste momento existe, pode já ter desaparecido daqui a 5 minutos.

Nunca me senti tão pequenina e impotente.

I, um beijinho grande para ti. Muita força!

3 comentários:

Diaboderoupacurta disse...

Isso é tão triste! É impressionante como num minuto tudo pode mudar e o mundo de alguém pode ser destruído...

Dina disse...

Neste mundo não somos nada. Tudo o que damos por certo pode deixar de existir de um momento para o outro. Força para ti e para a I Bjinhos...

Olhos Dourados disse...

Lamento:(

DIREITOS DE IMAGENS

Todas as imagens neste blog são retiradas de outros sites e usadas apenas para fins recreativos.
Não é pertendido usar os direitos de autor de outros, por isso sempre que possível é referida a fonte.
Caso alguma imagem esteja contra este estatuto mande-me um e-mail.